Como reagem os doentes ao testamento vital?

Ainda não nos é possível avaliar a reação das pessoas (não apenas dos doentes) ao Testamento Vital (TV). Apenas podemos referir que o interesse em divulgar a informação à sociedade em geral - após a publicação da lei 25/2012 (há dois anos) - tem vindo a crescer, quer através dos meios de comunicação social, da literatura, das fontes oficiais – ministério da saúde - em páginas web de esclarecimento e linhas diretas de apoio ao cidadão. É necessário continuar a investir na informação, envolvimento e apoio ao cidadão.

 

Somente podemos referir, empiricamente falando, que no seio dos cuidados de saúde as questões de esclarecimento sobre TV são mais frequentes e surgem escassos casos de pessoas com testamento vital (indicações especificas de cuidados e/ou nomeação de procurador de cuidados de saúde). A perceção geral do grupo (empírica) é de haver um grande desconhecimento sobre a existência do TV, seu conteúdo, extensão, sentido e prática.

 

Quanto ao TV com registo no RENTEV, ainda não dispomos de dados, uma vez que o sistema começa agora a ser implementado plenamente (há 1 mês). É necessário algum tempo para percebermos que tipo de declarações prevalecem.

 


voltar